sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Top Five - Espadas Lendárias

1 - Zulfiqar - A Espada da Honra.

Zulfiqar "bifurcada"" (em árabe: ذو الفقار‎ Dhū l-Fiqār) é a espada (cimitarra) do grande imam ‘Alī Ibn Abi Taleb (com ele esteja a Paz). Em árabe, normalmente, o nome é transliterado como Dhu al-Fiqar, Thulfeqar, Dhulfiqar ou Zoulfikar. Esta espada é um símbolo muito antigo e conhecido na religião islâmica, particularmente entre os shiitas, alevis e sufis.Algumas respeitadas tradições dizem que foi o amado Profeta Muḥammad (S.A.A.S.), quem presenteou Zulfiqar para o jovem Imam na batalha de Uhud. Durante o clamor da luta, o Imam derrotou um temido adversário ao quebrar seu elmo e partir seu escudo de um golpe só. Vendo esta façanha, o Profeta de Deus (S.A.A.S.) teria dito: "não existe herói como Ali e nem espada como Zulfiqar".O Imām Husayn ibn ‘Alī (com ele esteja a Paz) usou Zulfiqar na batalha de Karbala, onde foi martirizado. Desta maneira a espada também ficou como um símbolo de martírio e honra.O Shaykh sufi Seyyid Taner Mustafa Ansari Tarsusi er-Rifai el-Qadiri, foi o idealizador da arte marcial do Silat Zulfiqari, que faz homenagem a esta valorosa espada. O Silat Zulfiqari, desenvolvido a partir do Pencak Silat, é baseado no ideal da Futuwwah ou Cavalaria Espiritual Islâmica.

2 - Nasril (Andúril)




No mundo inventado por J. R. R. Tolkien, Narsil foi a espada do Rei Elendil dos Dúnedain, embora, em tempos posteriores foi reforjada como Andúril.



Ele aparece em O Senhor dos Anéis, O Silmarillion e Contos Inacabados.A espada foi forjada na Primeira Era pelo Anão Telchar de Nogrod, um famoso forjador de armas e artífice que também fez Angrist, que cortou um Silmaril da coroa de Morgoth e o Elmo de Hador mais tarde usado por Túrin Turambar.


O nome da espada contém os elementos nar e thil, "fogo" e "luz branca" respectivamente em Quenya, referindo-se a Sol e Lua.
Não se sabe para quem Telchar originalmente fez Narsil. Uma possibilidade é que, como Angrist e o Elmo de Dragão foram primeiramente oferecidos a um príncipe dos Noldor, tendo provavelmente passado por Elros, um dos últimos das três Casas Reais dos Noldor: talvez
através de Maglor.
A única certeza acerca da história da espada começa dois mil anos depois de Silmariën, quando o seu descendente distante,Amandil, Senhor perdido de Andúnië, enviou o seu filho Elendil de volta à Terra Média com Narsil, quase no final da Segunda Era, quando adivinhou correctamente a destruição iminente de Númenor.

3 - Flaming Sword - A Espada Flamejante

Espada Flamejante tem, como símbolo, duas interpretações diferentes para a sua origem. A interpretação clássica é bíblica e baseada na expulsão de Adão do Paraíso: "E expulsou-o; e colocou, ao oriente do Jardim do Éden, querubins armados de uma espada flamejante, para guardar o caminho da árvore da vida"(Gênese, 3 - 24).



A espada flamejante, entretanto, como símbolo do poder, só pode ser empunhada por um Venerável Mestre em exercício, ou por outro Mestre Instalado. Graças a esse seu peculiar uso, ela pode ser interpretada com base na mitologia grega: com suas doze sinuosidades, ou ondulações, ela lembra a concepção artística do raio, apanágio do principal deus do Olimpo, Zeus (Júpiter, para os romanos). Assim, a espada flamejante, que só pode ser empunhada pelo Venerável Mestre, que não pode ser embainhada --- não é possível embainhar o fogo --- e nem encostada no candidato, durante a sagração --- pois o fulminaria --- seria o raio jupiteriano do poder e da majestade.
4 - Excalibur
Excalibur é sem sombra de duvida, a mais famosa espada de todos os tempos. Ela foi criada nos reinos mais distantes e místicos de Arcádia, pela feiticeira conhecida na Terra como Viviane, ou a Dama do Lago. O nome verdadeiro da espada Excalibur era Kaledfwich.
Excalibur pertencia a Uther Pendragon, rei dos Bretões. Uther foi emboscado e mortalmente ferido em combate. Antes de morrer, Uther cravou a espada em uma pedra para evitar que seus inimigos a tomassem (algumas fontes dizem que Uther cravou a espada em uma bigorna).
Merlin fez um feitiço sobre a espada que impedia que ela fosse retirada por qualquer um que não fosse Arthur Pendragon, filho de Uther. Mais uma vez, algumas versões da lenda contradizem a questão de quem poderia retirar a espada da pedra. Uma destas versões dizem que a espada foi colocada lá e apenas aquele que fosse valoroso o suficiente para merecê-la poderia retirá-la da pedra.
Todos os guerreiros de Bretanha tentaram o feito, mas apenas um rapaz ainda muito jovem foi capaz de retira-la da pedra. Era Arthur, ainda adolescente; sendo assim reconhecido por Merlin como futuro monarca.
Arthur governou seu povo com sabedoria, e não com a espada. Formou um círculo com os mais valorosos cavaleiros do reino, batizando o grupo de Távola Redonda (em referência ao local onde se realizaram as reuniões do grupo).



Algumas das versões desta lenda contam que, antes de criar a Távola Redonda, Rei Arthur enfrentou um poderoso guerreiro, inferior em nobreza e superior em técnica. Prestes a ser derrotado, Arthur fez uso dos grandes poderes de Excalibur de modo a reverter a situação do combate. A espada se quebrou com o golpe. Amargurado por ter usado o poder Excalibur para derrotar um oponente mais forte, Arthur jogou as duas partes da espada em um lago.
Este lago possuía uma ligação com Arcádia e a própria Dama do Lago sentiu a presença de Excalibur. Ela consertou a arma e um dia, quando Arthur estava nas proximidades dele, ela apareceu e devolveu Excalibur a Arthur.
O destino final de Excalibur também é incerto. Dizem alguns que, pouco antes de morrer, Arthur retornou ao lago e devolveu Excalibur à Dama do Lago. Outras versões se omitem nesse ponto.

5. Kusangi-no-Tsurugi

Kusanagi-no-Tsurugi é uma lendária espada japonesa é tão importante na história do Japão como Excalibur é importante para a Grã-Bretanha, e é um dos três Privilégios reais do Japão. Também é chamada de Ama-no-Murakumo-no-Tsurugi (Espada que Colhe as Nuvens do Céu), mas é popularmente chamada de Kusanagi-no-Tsurugi ou Tsumugari-no-Tachi.De acordo com o Kojiki, o Deus japonês Susanoo encontrou a família de Kunitsukami (Deus da terra) de luto, na Izumo (província). Quando Susanoo perguntou a Ashinazuchi, ele lhe disse que sua família estava sendo devastada pelo terrível
Yamata no Orochi, uma serpente de oito cabeças, que comeu sete das suas oito filhas. Ele preparou oito vasos de sake(vinho feito de arroz) e colocou cada uma em uma plataforma individual atrás dos oito portões. Orochi caiu na isca e colocou cada uma das cabeças nas plataformas com sake. Com essa distração, Susanoo cortou as oito cabeças da besta. Ele cortou cada cabeça para depois cortar as quatro caldas. Na quarta cauda, ele descobriu que a grande espada de dentro do corpo da criatura se chamava Ama-no-Murakumo-no-Tsurugi, ele levou a espada á Amaterasu.
Gerações depois, Imperador Keiko, o 12º imperador do Japão, essa espada foi dada ao grande guerreiro Yamato Takeru como parte dos presentes do seu tio, Yamatohime que morava no Santuário de Ise, para proteger seu sobrinho nos périodos perigosos.