quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Poltergeist

Poltergeist (do alemão polter, que significa ruído, e geist, que significa espírito) é um tipo de evento sobrenatural que se manifesta deslocando objetos e fazendo ruídos.

Acredita-se que o foco dessa perturbação é muitas vezes uma criança na fase da puberdade, em geral do sexo feminino. O evento caracteriza-se por estar relacionado a um indivíduo e por ter curta duração. Difere da chamada assombração, que pode-se estender por anos, sempre associada a uma área, geralmente uma casa.

No fenômeno poltergeist um espírito perturbado usa o indíviduo para se manifestar, às vezes de forma agressiva, fazendo objetos como pedras, por exemplo, voarem pelos ares atingindo objetos e outras pessoas. Para a manifestação desse espírito, segundo a literatura espírita, é necessária a presença de um médium de efeitos físicos, ainda que seja completamente alheio à sua faculdade, para que os fenômenos ocorram.

Há casos famosos na parapsicológica, como o da família Lutz que, em 1976, foi atormentada por entidades inferiores durante os 27 dias que viveram em uma casa na pequena cidade de Amityville, nos Estados Unidos da América, que passaria às telas de cinema com o nome de Horror em Amityville. Um dos integrantes da família, George Lutz afirmou que durante a noite ouvia o ruído de uma banda marcial tocando na sua sala de estar, evento só constatado por ele.

O Fantasma Baterista de Tedworth foi um poltergeist famoso que assombrou uma família inglesa por volta de 1600. O poltergeist fazia sons de tambores, batendo noite após noite. Ele também batia violentamente nos móveis e quebrava o estrado da cama em pedaços. Ele só parou quando um sacerdote visitou a casa.

No início de 1800 os Caixões Rastejantes de Barbados chamaram a atenção da imprensa. A atividade ocorreu na tumba da família Chase durante um período de oito anos. Os caixões se rearranjavam e eram arremessados contra as paredes.

O Enfield Poltergeist é o caso mais espetacular desta natureza. Com mais de um ano de duração em 1970, dois pesquisadores documentaram mais de 1500 incidentes. Eles variavam de materialização de objetos, incêndios e até possessão, a maioria centralizada em Janet, uma menina de 12 anos de idade.